‘Tive ataque epiléptico’, diz Diego Hypólito sobre violência no vestiário

Maio 02 / 2018

Diego Hypólito afirmou que sofreu violência de atletas mais velhos no início de carreira. O atleta olímpico contou ao Jornal Nacional, da TV Globo, que só teve coragem de se abrir sobre o ocorrido com a própria mãe após se tornarem públicas as denúncias contra Fernando de Carvalho Lopes, técnico de ginástica artística acusado de abuso sexual.



Segundo Hypólito, ele não foi abusado por Lopes, mas era comum nos treinos sofrer bullying de colegas de profissão — com a conivência dos técnicos. “Me faziam ficar pelado e eu tinha que colocar uma pilha com pasta de dente no ânus”, conta sobre um episódio. “No dia em que isso aconteceu, eu tive um ataque epiléptico. Não consegui completar a prova. Era a questão da humilhação. O bullying era regular e tinha a conivência do técnico.”



Hypólito preferiu não citar os nomes dos atletas envolvidos no episódio de bullying contra ele.



 



Treinador afastado



O clube Mesc, de São Bernardo do Campo, afastou nesta segunda-feira o técnico de ginástica artística Fernando de Carvalho Lopes. A instituição emitiu nota em seu site oficial e informou que a decisão foi tomada após denúncias de abuso sexual feitas por dezenas de ginastas no último domingo.



De acordo com depoimentos de diversos atletas e ex-atletas, Lopes cometeu os abusos sexuais durante vários anos em treinos, testes físicos e viagens. A polícia passou a investigar o caso a partir da denúncia de um garoto de 13 anos, identificado como a primeira vítima a relatar o fato.



O técnico já havia sido afastado da seleção brasileira de ginástica artística um mês antes do início dos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016, quando surgiram as primeiras acusações. O treinador sempre trabalhou com as categorias de base, começou no vôlei e mudou para a ginástica.

Os comentários estão desativados para esta matéria.